Páginas

terça-feira, 7 de junho de 2011

Pesquisar é ciência

TRABALHO CIENTIFICO DE RONDINELLE(R.S,AMORIM) A espécie Avicennia germinans (L.) Stearn (Acanthaceae), conhecida por mangue preto ou siriúba, tem ocorrência em manguezais dos litorais das Américas (Jiménez & Lugo, 2005). Uma informação peculiar da espécie é sua produção de néctar em abundância, recurso importante que vem sendo usado para a criação de abelhas em áreas próximas a manguezais (Venturieri et al., 2003).
A protandria (pólen da flor liberado antes do seu estigma ser receptivo) é considerada como universal para este gênero (Tomlinson, 1986). No entanto, para o o Brasil, ainda não existem trabalhos que esclareçam aspectos da biologia floral e do sistema reprodutivo de espécies do gênero Avicennia.
O objetivo deste trabalho foi descrever a fenologia floral e caracterizar o sistema de cruzamento da espécie através de cruzamentos controlados em campo. Durante os estudos de biologia floral, alguns insetos visitantes foram coletados.
A espécie Avicennia germinans (L.) Stearn (Acanthaceae), conhecida por mangue preto ou siriúba, tem ocorrência em manguezais dos litorais das Américas (Jiménez & Lugo, 2005). Uma informação peculiar da espécie é sua produção de néctar em abundância, recurso importante que vem sendo usado para a criação de abelhas em áreas próximas a manguezais (Venturieri et al., 2003).
A protandria (pólen da flor liberado antes do seu estigma ser receptivo) é considerada como universal para este gênero (Tomlinson, 1986). No entanto, para o o Brasil, ainda não existem trabalhos que esclareçam aspectos da biologia floral e do sistema reprodutivo de espécies do gênero Avicennia.
O objetivo deste trabalho foi descrever a fenologia floral e caracterizar o sistema de cruzamento da espécie através de cruzamentos controlados em campo. Durante os estudos de biologia floral, alguns insetos visitantes foram coletados.



► fase masculina: No primeiro e segundo dia há liberação de pólen.

 
fase feminina: No terceiro dia as anteras secam e o estilete aumenta em comprimento, expondo os lobos do estigma bífido que distendem-se e tornam-se úmidos.


 Principais visitantes: ordem Hymenoptera (famílias Formicidae, Apidae e Vespidae), sendo encontrados também indivíduos das ordens Hemiptera, Lepidoptera e Diptera.
► Néctar produzido em pequenas quantidades ao longo do dia e concentração de açúcares de 46 a 77% produzido nas flores dão indícios de que a espécie é adaptada para a melitofilia.
      
                                                                  antese (abertura da flor): diurna


Local  e data das investigações: município de Augusto Corrêa, Pará (00058’33’’S 46035’22’’W), entre outubro de 2006 a dezembro de 2007. Fenologia Floral: Monitoramentos ao longo da vida floral, anotando-se as mudanças nos verticilos florais e a oferta de recursos aos polinizadores (n = quatro árvores/104 flores). Determinação do período de receptividade do estigma: análise da germinação do pólen e crescimento de tubos polínicos em estigmas de flores de polinização aberta coletadas no primeiro, segundo, terceiro, quarto e quinto dia após a antese, sempre no horário de 9 h (n = 406 flores).
Sistema de cruzamento: Polinizações controladas em flores previamente ensacadas em fase de botão (n = 261 flores). As observação da germinação do pólen e crescimento do tubo polínico até os óvulos dessas flores foi a estratégia utilizada para a indicação da possível fertilização.  Visitantes florais: Os insetos visitantes da flor foram coletados, e o volume e a concentração de açúcares no néctar produzido nas flores avaliado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário